top of page
  • Foto do escritorLu Folchini

Filme gaúcho Primum – O Grande Livro Mágico está em fase final de gravação

Atualizado: 8 de nov. de 2022

Média metragem é um dos produtos culturais distribuídos pelo projeto Livro Que te Quero ao Vivo


A história que encantou mais de 30 mil estudantes gaúchos em 193 escolas ganha uma nova fase: Carmina e Magnus, os feiticeiros do reino mágico de Castrum, terão sua origem contada na telona. O projeto cultural Livro Que te Quero ao Vivo entra em sua segunda etapa com o desenvolvimento de um média metragem gravado nas cidades de Monte Belo do Sul, Garibaldi, São Francisco de Paula, Gramado e Montenegro. As filmagens começaram em setembro e seguem até meados de novembro. A obra está sendo produzida pela Foco 3 Produções, de Caxias do Sul e tem em sua equipe técnicos e atores da Serra Gaúcha e região metropolitana. A previsão de lançamento é para fevereiro de 2023.

A primeira edição do projeto cultural ocorreu de dezembro de 2019 a abril de 2022, distribuindo a série literária Primum – O primeiro livro do mundo, da escritora Vivi Costa. São oito livros infantis acompanhados de encarte pedagógico. A proposta também contemplou a apresentação do espetáculo teatral A Magia do Livro, cujo roteiro e personagens inspiraram os textos. Aos professores, foi oferecida uma oficina de mediação literária. Nesta segunda etapa, que ocorre de julho de 2022 a janeiro de 2024, a meta é que 88 mil estudantes assistam ao filme Primum – O Grande Livro Mágico e conversem com a equipe artística e técnica.

Na série, os feiticeiros Carmina e Magnus vivem no Reino de Castrum, onde recebem a missão de zelar pelo Primum, o grande livro mágico, que guarda a sabedoria e o conhecimento do mundo. No entanto, em uma disputa de feitiços, o livro resta destruído e seus pedaços se espalham pela Terra. A dupla então perde seus poderes e inicia uma aventura para encontrar as partes da obra caídas pelo mundo. Nessa jornada, contarão com a sabedoria dos amigos que fizerem pelo caminho e precisarão fugir das artimanhas do vilão Málik. É um convite para os estudantes viajarem pelos cinco continentes, conhecendo diversas culturas e valorizando a importância dos livros e dos amigos.

O filme, por sua vez, irá retratar quem são Carmina e Magnus, como e por que se tornaram os guardiões do livro Primum e por que o vilão Málik quer impedi-los de encontrar os pedaços perdidos. Conforme o diretor, Nando Lemes, o resultado pretende encantar.


“O público vai encontrar uma ficção fantasiosa que engloba diversos outros gêneros. Vai ter um pouco de diversão, um pouco de drama, curiosidade e aventura. É uma emoção que penetra os personagens e vem para os espectadores”, relata.


Dois atores, de Caxias do Sul e de Canoas, darão vida à dupla Carmina e Magnus. Outros 22 são coadjuvantes e cerca de 60 pessoas atuam em pequenos papeis e figuração. A seleção ocorreu por meio de audições presenciais em Caxias e Gramado, com a participação de mais de 150 atores. Uma equipe de 15 pessoas atua na produção, com a direção, fotografia, arte, técnica de som, pós-produção e desenvolvimento de trilha sonora.

“São pessoas de muitas cidades, especialmente da região da Serra Gaúcha e de Porto Alegre. A intenção foi justamente valorizar e fomentar o cinema do Rio Grande do Sul, que ainda é escasso. Projetos como esse dão oportunidade a quem quer trabalhar diretamente no set de filmagem, não somente em publicidade”, reforça Lemes.

Conforme a gestora do projeto e produtora executiva do filme, Luana Folchini da Costa, a pós-produção terá efeitos especiais e computadorizados. “O filme vem sendo pensado há anos. Com o material pronto, poderemos participar de festivais e de pitches de negócios na área audiovisual. Será muito importante para dar visibilidade aos profissionais e aos produtos audiovisuais que somos capazes de fazer com esmero por aqui, fora do eixo Rio-São Paulo”, acredita.

A estreia está prevista para o final de fevereiro. O filme começará a circular pelo Rio Grande do Sul nas ações literárias do projeto cultural junto às escolas. Serão oito cidades contempladas em 33 ações, quando o filme será exibido gratuitamente para estudantes de escolas públicas.

“Vamos montar sessões de cinema e promover um bate-papo com a equipe, os atores e a escritora. Os livros começam a ser distribuídos para todas as escolas dos municípios contemplados no início do próximo ano. Assim, os estudantes vão conhecer os personagens e poderão prestigiá-los também nas telas e no palco, com o espetáculo teatral que circulará junto”, conta Luana.

A iniciativa também busca parcerias para viabilizar sessões em cinemas na região, a fim de marcar o lançamento. O filme será inscrito em festivais de diversos locais do mundo. Após essa etapa, será buscada a inserção em plataformas de streaming.

Confira imagens dos bastidores no álbum de fotos:



 

Autora quer despertar a imaginação

Adepta a Saramago e Érico Veríssimo, a escritora Vivi Costa começou seu gosto pela literatura ainda criança, com a obra Lenda da Via Láctea – que agora só é encontrada pela internet. Professora especialista em literatura infantil e juvenil, Vivi também é assistente social. Ela ingressou no projeto em 2014, quando foi convidada pela produtora da peça teatral a redigir um livro que desse continuidade às aventuras de Carmina e Magnus em diversos locais. Daí, vieram os oito livros.

“Esse enredo agora está virando filme, uma outra linguagem, e está me surpreendendo bastante. A história interessa a vários públicos e as linguagens também. O teatro, os textos narrativos e agora o cinema atraem desde crianças que estão iniciando a escolarização até os que estão concluindo o Ensino Fundamental”, considera.

Para ela, há um personagem essencial em tudo isso. “Se não fosse uma pecinha fundamental chamada professora, porque em sua maioria são mulheres, o livro não atingiria o público com tanto significado. Eu atribuo os bons retornos que recebemos aos mediadores da leitura, porque dão vida, sentido e despertam o interesse dos alunos e dos pais”, entende Vivi.

Conforme a autora, a multiplicidade de linguagens é uma vantagem diante do leque de público que se pode atingir com toda a proposta.

“Meu objetivo é alcançar o maior público possível com a energia boa que a literatura traz. É uma forma de desenvolvimento. Não existe linguagem mais ou menos importante, porque todas são facetas da mesma essência: é o que nos torna humanos. Queremos despertar a capacidade de imaginação, que não podemos perder no imediatismo que as redes sociais nos impõem”, ressalta a autora.
 

Lei Federal de Incentivo à Cultura


A ação cultural é realizada com recursos da Lei de Incentivo à Cultural Federal e conta com o patrocínio de empresas, por meio de incentivo fiscal. A produtora Foco 3 Produções, que desenvolve o média metragem, também abre mão de cachês e adiciona recursos, sendo apoiadora cultural. Ainda, a prefeitura de Monte Belo do Sul apoiou a iniciativa com recursos durante as gravações no município.


Todos os produtos relacionados ao projeto são acessíveis: os livros têm versão com audiodescrição, o teatro terá intérprete de LIBRAS e o filme terá versão com audiodescrição e legendas adaptadas.


Lei Federal de Incentivo à Cultura

Apoio: Fundação Marcopolo e Foco 3 Produções

Patrocínio: Marcopolo, Espumatec, Imobras, Hyva, Nutrire, Valeo, Pisani, Docile e Unyterra

Realização: LFC Cultural e Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo

Pronac: 203456


*Texto por: Luciane Modena

424 visualizações2 comentários

Posts recentes

Ver tudo

2 Comments


nandofisch
Nov 08, 2022

Orgulho imenso de fazer parte desse projeto fantástico ❤️

Like

Fernando Machado
Fernando Machado
Nov 05, 2022

Que lindo projeto! Será um sucesso!!!

Like
bottom of page